Notícias

Iniciativa reúne estudantes de todo o mundo em busca de soluções para as mudanças climáticas

21/12/2020

Durante seis semanas, o Climate Action Project uniu jovens e educadores para compartilharem ações de combate ao aquecimento global

Compartilhaê!

Durante seis semanas, o Climate Action Project uniu jovens e educadores para compartilharem ações de combate ao aquecimento global

Imagine um milhão de jovens se conectando virtualmente e propondo soluções para um dos mais importantes desafios da humanidade: os impactos das mudanças climáticas. Pois isso é possível e aconteceu recentemente com o Climate Action Project, que no Brasil, conta com o apoio do Movimento Todos Pela Educação.

A iniciativa é uma jornada gratuita de seis semanas que permite a educadores e estudantes, de 6 a 22 anos, debatam em escala global temas relacionados ao clima do planeta e coloquem a mão na massa em busca de suas causas, efeitos e possíveis soluções.  Os estudantes são protagonistas, pois com a ajuda de facilitadores, ficam responsáveis por todos os processos. Dessa forma, o projeto visa desenvolver no jovem habilidades como criatividade, empatia, resolução de problemas, colaboração e pensamento crítico.

O Climate Action Project é realizado há quatro anos e conta com apoio de entidades como ONU (Organização das Nações Unidas), WWF (Fundo Mundial para a Natureza), NASA (Agência aeroespacial dos Estados Unidos) e personalidades internacionalmente conhecidas, como o líder espiritual Dalai Lama e a cientista britânica Jane Goodall, que revolucionou os estudos sobre os primatas.

Unidades do Colégio Positivo, no Paraná, participaram pela primeira vez da iniciativa, que por ser um projeto internacional, teve as atividades realizadas em inglês. Ana Paula Teixeira, coordenadora do Ensino Bilíngue do CIPP – Centro de Inovação Pedagógica, Pesquisa e Desenvolvimento do Colégio Positivo e facilitadora do Climate Action Project nas escolas da rede, conta que foi uma experiência única não só do ponto de vista da aprendizagem e do ensino do inglês, mas também do enriquecimento cultural dos participantes.

“Com a oportunidade de interagir com outras crianças ao redor do mundo, os alunos aprenderam a ver um mesmo problema por outras perspectivas, ampliando sua consciência multicultural e ultrapassando os muros da escola”, diz a educadora.

Foto de rosto da educadora Ana Paula Teixeira

A educadora Ana Paula Teixeira

Durante o mês de setembro e outubro de 2020, os estudantes recebiam uma pergunta que deveria ser analisada e trabalhada a cada semana. Ao final, eles gravavam um vídeo retratando o que aprenderam e postavam na plataforma. O conteúdo então era apresentado a colegas de outros países. Tanto professores quanto alunos receberam medalhas e certificados digitais.

 

 
 

As atividades foram divididas da seguinte forma ao longo das semanas:

  • Semana 1: O que é mudança climática e qual seria sua definição? O que causa a mudança climática localmente?
  • Semana 2: Quais são os efeitos das mudanças climáticas? Início do #plantED (um plantio global de árvores)
  • Semana 3: Local para global: Quais são as causas e efeitos globalmente? Conecte-se a uma escola em outro continente. Amigo por correspondência.
  • Semana 4: Quais são as possíveis soluções? Lista mais longa de soluções. Início do #7point5 (faça algo de bom semanalmente).
  • Semana 5: Interações ao vivo e webinários com especialistas Início #Mission2Mars (desenhos e mensagens feitos por estudantes a serem enviados para Marte, graças à parceria com a NASA).
  • Semana 6: Tome uma atitude e traga mudanças.

Assim, após as primeiras cinco semanas serem ocupadas por estudos sobre o tema, interações e webinários com especialistas, a última semana foi o momento de colocar a mão na massa e propor soluções. Veja no vídeo seguir (em inglês):

Serena Rodrigues Barbosa, de 11 anos, de Curitiba (PR), é uma das estudantes participantes. Ela e os colegas de turma, por exemplo, constataram na cidade em que moram problemas como poluição do ar, poluição sonora e a formação de ilhas de calor. “Esse vapor quente vindo de fábricas, carros e chaminés é um dos grandes causadores do aquecimento global”, diz ela. Como solução para isso, Serena entende que é preciso plantar mais árvores e revitalizar as florestas, principalmente as que estão sendo consumidas pelos incêndios. “A Terra não precisa da gente. É a gente que precisa dela”, diz.

 

Print da tela mostra uma das atividades virtuais entre os participantes do Climate Action Project, onde é possível ver o mapa mundi e algumas imagens de alunos no lado direito da tela.

Na prática

Muitas atividades que nasceram no Climate Action Project ao longo dos últimos anos geraram impactos reais. Em edições anteriores, estudantes do Malaui plantaram 60 milhões de árvores, por exemplo, e na Indonésia, os jovens conseguiram fazer seu próprio tijolo ecológico. Após a edição de 2020, novas soluções para preservar o planeta e combater o aquecimento global certamente irão surgir!

Não perca!

Saiba quais eventos estão rolando por aí e participe!

Leia também